sexta-feira, 20 de junho de 2008

"É som de preto, de favelado, mas quando toca ninguém fica parado."


Esse trecho de música do título nem sei de que música é, mas tudo bem. Estava hoje a cantarolar essa música não sei o porquê, mas estava refletindo sobre a mesma e veio-me à tona: porque só porque é de preto, de favelado ninguém dança não? Ou ninguém gosta? Ou tem PRECONCEITO? Acho inclusive que a última opção é mais válida, só não entendo como que os próprios compositores(??????) desta canção(?????²) se acham inferiores ao som dos ditos "brancos"? Os hippies diriam que é culpa da sociedade, digo que é culpa deles mesmos, já que eles não querem sofrer preconceito, porque eles mesmos se auto-preconceituam a si mesmos (Pleonasmo massa, foi de propósito, pra enfatizar!).

Não consigo entender, já já aparece uma falando assim: "É som de branco da zona sul e quando toca ninguém fica parado." E chega a galera do movimento negro (nada contra, acho um dos movimentos mais organizados do país depois do MST!) falar que é preconceito também, porque primeiro não analisam a outra parte, que está neles mesmos? Ah, já sei, é porque é fácil criticar os outros, mas em casa é difícil criticar.

Música é um tipo de manifestação também, mas será mesmo necessário dizer que só porque é som de preto, de favelado todo mundo vai ficar parado? Ficar parado porque, PRECONCEITO? NÃO GOSTAM DE SE MISTURAR COM PRETO? Creio que antes de expôr esse tipo de música (ruído) que se chama "funk carioca", que nem sabem de onde nasceu o funk às vezes, antes que pensem que tenho alguma coisa contra o "funk carioca", eu só não gosto! E acho que antes de dizerem que é funk, esses (pseudo)compositores saibam o que estão fazendo, pois o funk de verdade, nasceu nos bairros negros norte-americano e é uma mistura de R&B, Jazz e Soul.

Façam como quiserem, mas nunca, jamais digam que o que vocês cantam é funk, isso é matar, esquartejar e expôr em praça pública o que chamamos verdadeiramente de: MÚSICA!!!!

FUNK CARIOCA NÃO É MÚSICA e ponto final.
Desculpem-me aos que gostam, mas essa é minha visão como músico.

Saudações.

"A música é o barulho que pensa." (Victor Hugo)

7 comentários:

tente não sorrir perto das suas felicidades disse...

tirou as palavras da minha boca!
se gostam da musica pelo ritmo, pq n um funk estrumental?(hã?!)
por isso que digo q nas boates só devia tocar musica eletronica!

Indira disse...

A questão é que eles estão tão conformados a não fazerem parte do nucléo social que a marginalização passou a ser algo natural e refletido em suas exposições "culturais".Não é que eles tenham preconceito com a propria raça,mas sim uma desvaloriazação externa que influencia a interna.Enquanto a "musica" o que ocorre é apenas o desejo de vender algo que seja animado e que agite a massa,esse estilo não privilegia apenas uma classe ele é feito para adentrar e crescer dentro de todas as classes com um unico objetivo: lucro imediativo.

gracenhaa_ disse...

O preconceito realmente já começa pela letra da música,se inferiorizam ,isso é horrivel.

francirleide disse...

eh rafoca... concordo com vc, funk carioca n eh musica e a respeito que indira falou concordo com ela... isso eh uma maneira de lucrar.

Carol... disse...

Bem...E qual o problema de Lucrar?
A música nada mais é um reflexo da vida dessas pessoas. Do preto favelado. Aí vão me dizer: Mas na favela não tem só preto ou afrodescendentes... é não tem. Mas vá ver a maioria.

Ah mas nem todos os Afros moram na favela, mas vá ver quantos deles moram...

Não é questão de ter preconceito com si mesmo, mas de realidade mesmo.
E a música, em qualquer lugar do mundo, vai retratar o meio. Se o "Funk" no Brasil é diferente do original lá dos EUA, é pq é uma realidade totalmente diferente. Estamos num Brasil onde a sensualidade é exacerbada, e isso se reflete na música.

Talvez Chamar de FUNK tb, seja um engano. Mas não vejo mal em se lucrar com uma música que alegra as pessoas. Isso não quer dizer que eu goste de FUnk, ou que eu não goste, mas que defendo a música como forma de expressão livre.


Beijos RAFOCA!

aloisio disse...

'Música é um tipo de manifestação também, mas será mesmo necessário dizer que só porque é som de preto, de favelado todo mundo vai ficar parado?"

na verdade é o contrario...eles dizem que apesar de ser som de preto, de favelado, quando toca todo mundo dança,até os brancos riquinhos. Vc interpretou mal a musica, não é um preconceito deles com eles mesmos.É na verdade uma forma de criticar essa visão dos mais abastados que musica boa é o que eles escutam ou passa na mtv ou que tá por aí no youtube.Sendo que essa musical atual é uma bosta e a cada ano a parte instrumental fica mais pobre.
Eu vejo para uma pessoa que nasceu no começo o século e viu a musica nos anos 60 e 70, vcs acham que eeles aceitaram aquilo como arte incontestável como a gente aceita hj? Quem fazia parte instrumental das musicas eram compositores clássicos, vanguardistas da musica clássica.Vc sabia que havia um movimento contra a guitrra no brasil, pq nenhuma musica tocada com guitarra era considerada musica pelos mais velhos que viam aquilo surgindo no cenario cultural. Eles achavam lixo bandas altamente cultuada hj em dia, para eles todos esse rock progressivo era lixo, tropicalia era lixo e o que veio depois era um lixo pior ainda.E não é por menos, eles viam de uma geração acostumada a escutar musica com um preparo, um arranjo instrumental extremamente rico, trabalhado, feitos por genios, essas bandas que a gente toma referencia do que é musica hj em dia realmente é muito inferior.
O funk sofre preconceito sim.Pela pornografia?Talvez,temos tantos puritanos no país.Mas principalmente por ser musica que massa gosta e coisa que massa gosta provavelmente deve ser inferior, deve ter um nivel baixo.
A intenção deles nem sempre é mandar uma mensagem, é simplesmente fazer algo que as pessoas gostem de dançar e essa é a essencia da musica como arte, toca a pessoa de alguma forma,seja por algo visual,sonoro ou tatil...letra boa por letra boa, vá ler um livro de poesias.
E essa musica é uma da poucas musicas de funk que tenta passar uma mensagem, que tenta expor o preconceito dessa galera que só escuta rock de gente que já morreu ou o que é dito como mpb, e todo resto é lixo.Jovens de cabeças fechadas e cegos pela crença de que analfabeto não tem gosto pra nada,que são alienados, como se eles também não fossem.

Rafael disse...

O problema é justamente o que o Funk acabou se tornando com o tempo. De certa forma, nas origens ideais e limpas ao conceito Funk surgia como uma reivindicação.. mas o futuro acabou reservando esta transformação e esquecimentos da real intenção do movimento, ao passo que hoje, o que corre pela midia são musicas que vão desde o bonde do tigrão até um Mc Serginho.

Concordo com tudo que você disse foca. E de certa forma, viva ao bom funk original e de raiz, que acaba sendo camuflado por esta deturpação do movimento que se acelera e se coloca cada vez mais na midia.